Uncategorised

now browsing by category

 

Crónica da 1ª Brigada do Barbanza en Froxán

O lançamento do projecto das Brigadas deseucaliptizadoras teve lugar o dia 22 de abril de 2018 na Área Conservada pola Comunidade Vizinhal de Froxán (ICCA) em Lousame, implicando a própria Comunidade do Monte Vizinhal em Mão Comum e a Sociedade Histórica e Cultural Coluna Sanfins. Ambas as duas entidades tinham ensaiado em numerosas ocasiões durante o ano anterior o esquema de trabalho e voluntariado ambiental por volta da “roga” e “alvoroque”, mais recentemente numa campanha de micromecenado “deseucaliptizador” lançado em colaboração com Verdegaia e que tem ainda imenso trabalho por diante. Esta primeira intervenção das Brigadas estabelece de feito uma sinergia com o trabalho já feito e previsto.

Aproveitando as semanas prévias com chuva, na parte da manhã as mais de 40 pessoas participantes plantaram quase 700 árvores nativas (fundamental carvalhos e bidueiros, mas também avelaneiras, érvedos e cereijeiras) em claros rodeados de carvalheira na zona da “Costaneira” na que nos meses prévios a Comunidade eliminou várias massas de Eucalipto e Pinus radiata, fomentando a sucessão florestal e a consolidação de uma ampla massa de frondosas autóctones. Ao mesmo tempo, macharam-se os eucaliptos que com a chuva voltaram a agromar nas semanas prévias.

O alvaroque teve lugar já de volta em Frojám, sendo um tempo para o convívio, troca de ideias e preparação para o futuro. Após o café, roscão e licores, voltamos ao monte, continuando a plantação de mais 200 pés de frondosas nativas numa zona mais alta do monte, a “Volta dos Carros”. Continuamos logo a seguir para a zona húmida do Campo de Lamas, onde a Comunidade desenvolve um projecto de restauração de uma branha hidroturbosa que foi seleccionado com outros três de todo o Estado como caso piloto do livro Guía Práctica: “Cómo planificar proyectos de custodia para adaptarse al cambio climático en las regiones vulnerables de España” (pode-se conhecer com detalhe o projecto nesse mesmo documento). Lá removeram-se pés de Pinus radiata da zona onde nos anos 1970 os serviços florestais do Estado abriram um canal de drenagem, um dos principais fatores de degradação da zona húmida.

Durante o dia gravaram-se ainda materiais audiovisuais para dous pequenos vídeos divulgativos do projecto das Brigadas, com os quais finalizamos a crónica desta primeira roga e alvoroque deseucaliptizador! Até a próxima!

© 2018: Brigadas deseucaliptizadoras